top of page

Destruição da Mata Atlântica tem queda surpreendente nos primeiros 5 meses de 2023

Minas Gerais é um dos estados que puxaram a queda. Paraná, Santa Catarina e Bahia também se destacaram. Por outro lado, Rio Grande no Norte, São Paulo, Sergipe e Alagoas registraram aumento.




Para os cinco primeiros meses de 2023, o desmatamento no bioma que costuma ser o mais ameaçado do Brasil diminuiu.


A Mata Atlântica está presente em 17 estados e ocupa 15% do território nacional. É um dos biomas que mais sofrem com a ação humana e que agora teve um certo alívio. Nos cinco primeiros meses de 2023 houve queda de 42% na área desmatada em todo o país em relação ao mesmo período de 2022, de acordo com o MapBiomas.

A Mata Atlântica perde espaço para as cidades, para a agropecuária, para a exploração mineral. Mas o perfil do desmatamento vem mudando. Antes, os alertas do monitoramento se concentravam em grandes áreas. Agora, a preocupação maior é com a destruição em propriedades menores. Ambientalistas afirmam que as fiscalizações mais rígidas ajudaram na redução dos grandes desmatamentos. Minas Gerais é um dos estados que puxaram a queda. Paraná, Santa Catarina e Bahia também se destacaram. Por outro lado, Rio Grande no Norte, São Paulo, Sergipe e Alagoas registraram aumento.


São Sebastião, no litoral paulista, teve a maior área devastada no estado de São Paulo. Em fevereiro, a região foi atingida por um grande volume de chuva, que provocou deslizamento de áreas de floresta; 64 pessoas morreram.


De acordo com SOS Mata Atlântica, do bioma original, só restaram 24%. O diretor-executivo da ONG diz que é preciso investir em ações de recuperação.

“A Mata Atlântica é o bioma onde vive a maior parte da população brasileira, e a gente depende dela para ter água na nossa torneira, para ter energia elétrica, para produção de alimentos, para evitar tragédias. E, por isso, é o bioma que a gente precisa alcançar o desmatamento zero primeiro, beneficiando toda a população do nosso país”, afirma Luís Fernando Guedes Pinto, diretor-executivo da SOS Mata Atlântica.

O Ministério do Meio Ambiente declarou que está montando uma força tarefa para reduzir ainda mais o desmatamento.

“O que nós estamos fazendo é uma ampliação significativa da fiscalização. Aumentamos em 53% as autuações no bioma Mata Atlântica. Aumentamos as multas em 165%. Nós estamos estabelecendo com clareza e comunicando para a sociedade que haverá fiscalização e que haverá a devida punição para o caso dos desmatamentos ilegais”, diz João Paulo Capobianco, secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente.


Fonte: G1- Por Jornal Nacional


תגובות


bottom of page