top of page

C20 com inscrições abertas: entidades da sociedade civil têm até 31 de janeiro

Entidades devem responder uma descrição de objetivos e justificativa das razões para nomeação como representante dentre os dez eixos indicados pelo C20, grupo de engajamento da sociedade civil no G20 Social



“Como eu posso participar do G20?”  Uma dúvida de muitos, e que pode também ser a sua, já tem resposta. O C20, grupo de engajamento (GE) que representa a sociedade civil no G20 Social, está com inscrições abertas até a próxima quarta-feira (31/01) para aqueles e aquelas representantes de entidades que desejarem participar dos debates. 


As inscrições podem ser feitas através do site do C20, em um formulário disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol), respondendo dados básicos (nome, país, gênero) e descrição de objetivos da entidade e justificativa das razões para nomeação como representante, ambas em cerca de 500 caracteres.


“Através do site, todas as organizações da sociedade civil no mundo inteiro, não só dos países que compõem o G20, são convidadas a participar, a se engajar no processo de construção das recomendações que vamos preparar”, colocou Alessandra Nilo, co-fundadora e coordenadora da ONG Gestos e sherpa do C20 no Brasil.


As inscrições podem ser feitas para colaboração em até três eixos do C20. São eles:


1) Economias justas, inclusivas e antirracistas;

2) Sistemas alimentares, fome e pobreza;

3) Meio ambiente, justiça climática e transição energética justa;

4) Comunidades sustentáveis e resilientes e redução do risco de desastre;

5) Saúde integrada para todas e todos;

6) Educação e cultura;

7) Digitalização e tecnologia;

8) Direitos da mulher e igualdade de gênero;

9) Filantropia e desenvolvimento sustentável;

10) Governança democrática, espaço cívico, combate à corrupção e acesso à justiça (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 16 da ONU).


Cada eixo será co-facilitado por duas organizações – uma internacional e uma brasileira – com experiência relevante no C20 e/ou expertise na área temática. A igualdade de gênero, o anti-racismo, os direitos humanos e as deficiências serão temas transversais aos debates dos dez eixos, da governança às recomendações. O nono eixo, de Filantropia e Desenvolvimento Sustentável, é uma novidade no grupo de engajamento, estreando este ano. 


Ao fim, Alessandra também destacou o apoio da presidência brasileira do fórum ao G20 Social. “Nossa expectativa é que vamos poder ter, enquanto sociedade civil, uma participação muito maior durante o processo de construção e das recomendações do próprio G20. A presidência do Brasil tem se mostrado muito aberta à participação das organizações da sociedade civil e nós acreditamos que até o final do ano nós vamos conseguir realmente estabelecer uma ótima prática em relação ao processo de participação que poderia ser inclusive seguida nos outros países”, indicou a sherpa. 


ONG Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero, acompanha o G20 desde 2010 e, assim, integra o C20 desde sua formalização como grupo de engajamento, em 2013. No último ano, 2023, durante a presidência indiana, a Gestos começou integrar a troika do GE, que este ano é constituída, para além do Brasil, por representação do país antecedente (Índia) e a posterior presidência (África do Sul).


Por: G20 Brasil 2024

Edição: Ailane Silva


Коментарі


bottom of page