Frente Parlamentar Ambientalista
Frente Parlamentar Ambientalista > Observatório de Leis > > Secretária do Meio Ambiente fala sobre transição energética na COP27

No dia em que a Conferência do Clima (COP27) teve como tema central a descarbonização, a secretária do Meio Ambiente e Infraestrutura, Marjorie Kauffmann, foi uma das palestrantes do painel Papel dos estados para o avanço na descarbonização do setor energético. O evento aconteceu nesta sexta-feira (11/11), no estande do Ministério do Meio Ambiente.

Marjorie apresentou o potencial do Rio Grande do Sul em energias renováveis e lembrou que 81% da potência elétrica instalada têm origem em fontes renováveis. O Estado representa 8,4% da potência eólica instalada no Brasil, ocupando a quinta posição. O Rio Grande do Sul conta com 80 parques distribuídos em nove municípios gaúchos. São 61 projetos onshore (em terra) em fase de licenciamento e outros 21 projetos offshore (no mar).

A secretária também pontuou os avanços para a produção de Hidrogênio Verde, um dos caminhos para a transição energética. Marjorie falou sobre os memorandos de entendimento assinados com empresas e o estudo contratado pelo Estado para mapear o potencial de produção no Rio Grande do Sul. O relatório foi finalizado há cerca de dez dias e será apresentado em dezembro.

“Reforço que tem ficado cada vez mais clara a necessidade dos estados serem indutores, facilitadores e norteadores para o fortalecimento da matriz renovável e implementação de novas cadeias energéticas, como é o caso do Hidrogênio Verde no Rio Grande do Sul”, disse Marjorie.

Participaram do mesmo painel Telmo Borges, assessor técnico do Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro; Inamara Melo, da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco; e Eduardo Trani, subsecretário de Meio Ambiente de São Paulo. O evento foi mediado pela superintendente de Sustentabilidade e Clima de Pernambuco, Samanta Della Bella, e acompanhado por autoridades como Julie Messias, secretária de Biodibersidsde do Ministério do Meio Ambiente; Domingos Velho Lopes, secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento do RS; e Renato Chagas, presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambiental, além dos demais integrantes da comitiva gaúcha.

Carta de Koronivia

Também nesta sexta-feira, o secretário Domingos esteve presente, na COP27, em uma plenária com um grupo de autoridades de diversos países do globo que tratou sobre a Carta de Koronivia, uma iniciativa da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas que reconhece o potencial único da agricultura no combate às mudanças climáticas.

O encontro foi a quinta rodada de negociações entre as nações agrícolas sobre a manutenção do grupo de Koronivia, que rege as atividades agrossilvipastoris dentro do acordo de Paris, como parte da solução das questões climáticas.

“O setor tem acompanhado as negociações desde as primeiras rodadas. Estamos aqui, mais uma vez, reunidos para ratificar esse documento que coloca a agropecuária como parte da solução dos problemas ambientais mundiais. Isso demonstra o caráter resolutivo com que o Estado trabalha. Nesta COP, presencialmente, agricultura e meio ambiente do Estado do RS dividem palcos e mostram como o Estado tem buscado soluções complementares”, reforçou Domingos.

A Carta de Koronivia aborda seis tópicos, que se relacionam: solos, uso de nutrientes, água, pecuária, métodos para avaliar a adaptação e as dimensões socioeconômicas e de segurança alimentar das mudanças climáticas nos setores agrícolas.

A reunião foi finalizada sem acordo entre as nações e o texto poderá ser analisado em uma nova plenária.

Resiliência

Ainda dentro da programação da COP27, a secretária Marjorie dividiu o palco com autoridades dos estados de São Paulo, Pernambuco, Santa Catarina e Minas Gerais em um evento promovido pelo Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade com o tema Resiliência nas cidades da América Latina. Representantes de outros países e de municípios brasileiros também participaram, como o secretário de Meio Ambiente de Porto Alegre, Germano Bremm.

O evento teve como objetivo dar visibilidade às ações e projetos inovadores no contexto do clima nas cidades latino-americanas e promover o diálogo entre os governos.

Durante a sua apresentação, Marjorie trouxe alguns dos projetos desenvolvidos pela Sema focados na conservação, como as trilhas de longo curso e a criação de geoparques, e na valorização do extrativismo sustentável.

“Nós não podemos esquecer que somos entes públicos de um público só, que é o cidadão. Por isso, nós precisamos conversar, se conectar e traçar linhas que facilitem a vida das pessoas. Estamos levando desenvolvimento e trazendo os atrativos turísticos a partir dos ativos ambientais”, reforçou Marjorie.

Ainda durante o dia, a equipe técnica da Secretaria da Agricultura acompanhou palestras sobre a importância das cooperativas para o agrossustentável, perspectivas para a bioenergia no Brasil, e etanol mais hidrogênio. Os técnicos da Sema e da Fepam assistiram a palestras sobre descarbonização na indústria de óleo e gás, e tecnologias para lidar com as mudanças climáticas, entre outras.

Neste sábado (12/11), o tema da COP27 será Adaptação e Agricultura.

Texto: Vanessa Trindade
Edição: Secom