top of page

Governo faz proposta “muito aquém” e servidores ambientais seguem em mobilização

Após reunião realizada na tarde desta quinta-feira (1), no Ministério da Gestão, um acordo entre governo e servidores ainda está distante; fiscalizações ambientais continuarão reduzidas

Terminou longe de um acordo a mais recente negociação trabalhista entre servidores ambientais federais e o Ministério da Gestão (MGI), realizada hoje (1), em Brasília. Em cerca de 3 horas de reunião, o governo apresentou sua contraproposta aos pedidos dos servidores, ficando “muito aquém daquilo que vinha sendo reivindicado”, como resumiu Cleberson Zavaski, o Binho, presidente da Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente (ASCEMA Nacional). A próxima reunião entre as partes está marcada para a manhã do dia 16.


A ((o))eco, o dirigente afirmou que, por ora, a mobilização nacional dos servidores continua, concentrando suas atividades em serviços burocráticos e restringindo as fiscalizações em campo. Uma alteração nesse quadro depende do sucesso das negociações e da discussão em assembleias de servidores em cada estado, “através do comando de greve e das entidades filiadas”. “Nesse momento, a mobilização continua em todos os estados, com os servidores conduzindo manifestações, mobilizações, e as atividades somente em escritórios e sedes dos órgãos”, resumiu Cleberson.


Com a proposta apresentada hoje pelo governo, ainda há um longo caminho até que todas as arestas sejam aparadas. “Falta uma série de questões para que haja possibilidade de ter um acordo”, frisou o representante dos servidores. “Entre elas, por exemplo, a questão da gratificação por atividade de risco, que não foi nem tocada pela proposta do governo, e a recusa em diversas questões do que já tinha sido avançado em negociações anteriores”, completou. A reivindicação de equiparação salarial com servidores da Agência Nacional de Águas (ANA), por exemplo, também não foi acatada. A ASCEMA apresentará sua resposta à oferta do governo na próxima reunião, segundo o presidente da entidade. O MGI foi procurado para se pronunciar, mas ainda não respondeu. O espaço segue aberto. 


As negociações têm sido assunto de discussões entre os ministérios da Gestão, responsável pela adequação orçamentária do serviço público federal, e o do Meio Ambiente, ao qual os servidores são afiliados. Na última quinta (25), as ministras das duas pastas, Esther Dweck e Marina Silva, debateram as reivindicações junto a representantes do Ibama e do ICMBio. Na segunda (29), Marina afirmou, durante evento em São Paulo, que vê as demandas como “legítimas” e que Dweck tem “grande sensibilidade” para a pauta dos servidores.


Antes das negociações, servidores ambientais se mobilizaram em todo o país, levando faixas com reivindicações aos escritórios de seus órgãos nos estados e, no caso dos servidores lotados no Distrito Federal, realizando um ato na Esplanada dos Ministérios. Inicialmente a manifestação aconteceu em frente ao Ministério do Meio Ambiente, às 14h, e dali partiu para o Ministério da Gestão, às 15h, horário de início da reunião. De lá, os servidores aguardaram até o início da noite pelo retorno de seus representantes, terminando sem receber, porém, a resposta que desejavam.


FONTE:

bottom of page