top of page

Boiada atropelou os direitos da natureza na lei orgânica de Cáceres







Pressão ruralista extirpa norma que havia sido aprovada por unanimidade pelos vereadores do município pantaneiro


Dito e feito, Cáceres (MT) perdeu ontem (14) um trecho da lei orgânica que equiparava direitos sociais e da natureza em suas políticas, projetos e ações. Era o primeiro município pantaneiro com tal reconhecimento.


O trecho foi revogado numa sessão da Câmara de Vereadores, cuja maioria aceitou a tese de inconstitucionalidade da medida apontada pelo Sindicato Rural e chancelada por parlamentares alinhados ao governo estadual.


A norma derrubada pela pressão ruralista permitiria, inclusive, melhorar o Código Ambiental do município. Entidades civis, comitês populares e vereadores que ajudaram a construir a lei lamentaram o retrocesso.


Banhado pelo rio Paraguai, Cáceres é a “capital do gado” do Mato Grosso. Seu rebanho cresceu 8,5% na última década e ultrapassou um milhão de cabeças. O município seria o quarto maior criador de gado do país.

bottom of page