Frente Parlamentar Ambientalista
Frente Parlamentar Ambientalista > Sem categoria > Entidades pedem apoio na Câmara para que meio ambiente esteja na pauta de futuros prefeitos

24/11/2020 – 20:07   Divulgação/Prefeitura de Manaus

Meio Ambiente - lixo e reciclagem - água poluição resíduos sólidos contaminação descarte pets plásticos dejetos saneamento básico garis limpeza urbana (limpeza do igarapé do Franco, Manaus-AM)

Ambientalistas querem que futuros prefeitos e vereadores assumam compromissos para o quadriênio 2021-2024

Como forma de garantir a adesão de vereadores e prefeitos à pauta ambiental, entidades ligadas ao setor pediram o apoio da Frente Parlamentar Ambientalista e colocaram à disposição dos candidatos cartas de intenções para ações de preservação ambiental.

A Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente criou uma carta de intenções que foi apresentada aos candidatos nas eleições municipais de 2020, e que teve o apoio da frente na Câmara. A carta de compromisso com as questões ambientais foi assinada por candidatos a prefeitos e vereadores de 15 estados.

Para a secretária ambiental da cidade de Três Rios, no Rio de Janeiro, Aliceb Hagge, agora o trabalho será garantir uma transição com transparência para não haver prejuízos aos projetos em execução na área ambiental.

“Orientando os secretários de meio ambiente a fazerem transições da maneira mais transparente possível para que não haja interrupção das políticas públicas ambientais. A gente vai acompanhar esses secretários, sugerir estruturas de relatórios que possam ser utilizados como base para que eles possam dar continuidade através dessa transição bem feita às políticas públicas bem sucedidas nesses municípios”, explicou.

Suprapartidário
O presidente do Instituto SOS Mata Atlântica, Mário Mantovanni, lembrou que o trabalho da Frente Parlamentar Ambientalista tem justamente essa função: garantir que o meio ambiente esteja na pauta de todos os prefeitos, independentemente do partido político.

O representante do grupo ambientalista da Bahia Renato Cunha lamentou que o prefeito eleito de Salvador não tenha assinado a carta ambientalista. Mas, segundo ele, agora é hora de dar continuidade ao trabalho de conscientização entre os vereadores eleitos.

“O candidato que ganhou não assinou, não se comprometeu com nada. A gente vai atrás dele, logicamente, a gente tem que dialogar com quem está no processo. Vereadores foram eleitos, alguns que assinaram o pacto pelo clima, nem todos, a maioria não assinou. Mas a gente vai trabalhar para que a gente possa comprometer esses candidatos, agora eleitos, para as plataformas ambientais, climáticas, de agroecologia, de todos esses temas que tem a ver com a nossa pauta”, observou.

Segundo turno
Já o coordenador da Teia Carta da Terra, entidade que reúne organizações e pessoas ligadas ao meio ambiente, Pedro Ivo Batista, comemorou que, com apenas um mês de trabalho antes das eleições, quatro capitais terão em sua disputa de segundo turno candidatos que assinaram o documento, o que traz uma série de ações para preservação ambiental a serem desenvolvidas nos municípios.

Para Pedro Batista, um exemplo de que a pauta ambiental é suprapartidária é o caso de São Paulo, onde os dois candidatos ao segundo turno, Bruno Covas, do PSDB e Guilherme Boulos, do Psol, assinaram a Carta da Terra.

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Roberto Seabra

Fonte: Agência Câmara de Notícias