24-05-2018 Café da manhã: Exportação marítima de gado vido do Brasil

Publicado na categoria Sem categoria em 17 de maio de 2018

CONVITE

 

O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), o coordenador do Grupo de Trabalho Fauna, Deputado Ricardo Tripoli (PSDB/SP),  o Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e demais organizações da sociedade civil que compõem a Frente Ambientalista, convidam para café da manhã seguido de debate para apresentação e discussão sobre a exportação marítima de gado vivo do Brasil, com participação internacional da médica veterinária Dra. Lynn Simpson.

Data: 24/05/2018 (quinta-feira)

Horário: 8h30

Local: Auditório Freitas Nobre, Subsolo, Anexo IV da Câmara dos Deputados, Brasília/DF

Contamos com a sua presença e participação!

Por gentileza confirme sua presença no e-mail: frenteambientalista@camara.leg.br

 

A Frente Parlamentar Ambientalista tem como objetivo apoiar políticas públicas, programas e demais ações governamentais e não governamentais que promovam o desenvolvimento sustentável e está aberta a novas adesões.

 

www.frenteambientalista.com

frenteambientalista@camara.leg.br

 

 

O Brasil exporta anualmente milhares de bovinos para abate no Oriente Médio, em viagens marítimas de até 30 dias, em condições precárias, alta densidade de lotação e só um veterinário a bordo.

O risco de impactos ambientais e acidentes é alarmante, como em 2015 quando morreram 5.000 animais no Pará. Os que morrem durante o trajeto são atirados ao mar, assim como toneladas de dejetos produzidos na viagem.

Um número crescente de veterinários em todo o mundo se opõe a essa exportação por entender que é impossível promover bem-estar animal nessas condições e que a recomendação científica é que animais sejam abatidos próximo ao local de criação. Um dos palestrantes será Dra. Lynn Simpson, veterinária com vasta experiência em exportação de animais vivos, tendo vivenciado o que realmente ocorre no trajeto.

O aspecto econômico para o país também será abordado. Segundo Prof.Dr. Mateus Paranhos (UNESP) “O Brasil está perdendo muito. Geração de empregos, impostos, movimento desse produto no mercado interno ou mesmo para exportação seria muito maior do que movimento financeiro com exportação direta.” Esse comércio também libera, junto com animais, quantidade enorme de subprodutos altamente taxados para associações que os usam no Brasil, como o couro.

Em fevereiro, a 25ª Vara Cível Federal de São Paulo, autorizou vistoria de 25.000 bois no navio NADA, em Santos. Com a conclusão de que “são abundantes indicativos que comprovam maus-tratos e violação explícita da dignidade animal, além de ultrapassar critérios de razoabilidade elementar das cinco liberdades garantidoras do bem-estar animal”, chegou a ser determinada suspensão dessa exportação em território nacional.

Projetos de lei foram apresentados no Congresso, na Assembleia Legislativa de São Paulo e na do Rio de Janeiro para proibir a exportação. Na Câmara Municipal de Santos foi sancionada lei que vetou transporte de carga viva no perímetro urbano, impedindo a exportação por esse porto.

O movimento contra Exportação Marítima de Gado Vivo cresce no Brasil, como em todo o mundo.  A Frente Parlamentar Ambientalista vem então trazer esse tema para exposição e discussão.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *